Pular para o conteúdo

A capa de um livro, com um olho no centro e abaixo escrito Visionvox

Sinopse do livro

Autor: Manuel Correia de Andrade
Livro: Pernambuco - Cinco séculos de colonização

Sinopse:
O livro que ora publicamos é o resultado de dezenas de anos de estudo, de pesquisas e reflexões. Nele, tentamos descrever a formação de Pernambuco, dentro de vários contextos: o local, o regional, o nacional e o internacional. Nele, procuramos demonstrar como se formou, por que se formou e para quem foi formado; a sua razão de ser, os aspectos que caracterizam e norteiam a sua posição no país e no mundo, diante do processo de mundialização, iniciado já no século XV, e que apresenta, hoje, a sua forma mais aguda, a chamada globalização. Este é um livro que se destina ao público que tenha interesse em melhor compreender a dinâmica da sociedade estadual e os destinos que norteiam a vida desta sociedade, no momento atual. Nele, será dada uma importância menor aos fatos políticos, às figuras heróicas e aos eventos, mesmo aos mais importantes, para se poder compreender o ?sentido da colonização?, como diria Caio Prado Júnior. Este autor salienta que o espaço, hoje pernambucano, foi territorializado em função da colonização portuguesa que destruiu um processo civilizatório autóctone que vinha sendo feito pelos indígenas, substituindo-o por outro, a exploração da terra, usando a própria força de trabalho indígena e africana, visando a atender à demanda do mercado europeu. Após três séculos de colonização direta dos lusos, mesmo com a Independência, feita em função dos interesses das classes dominantes, o processo colonial continuou a se fazer sentir, tanto através dos vínculos culturais com a velha metrópole, como depois, com a sua substituição, como instância de poder, pela Grã-Bretanha e atualmente pelos Estados Unidos. O processo de globalização, hoje tão discutido, é uma continuação modernizada do sistema de colonização, de dominação colonial. Daí o título dado a este livro: ?Pernambuco; cinco séculos de colonização?. O território pernambucano foi alterado várias vezes: em 1763, com a anexação de Itamaracá; em 1817, com a separação da comarca das Alagoas, que passou a formar uma nova província e, finalmente, em 1824, com a separação ?provisória? da comarca de São Francisco, inicialmente anexada a Minas Gerais e depois transferida para a Bahia. Por isto, analisaremos fatos ocorridos, até o século XIX, em território alagoano e oeste da Bahia como sendo pernambucanos. Quanto a Itamaracá, a anexamos, praticamente, desde o começo da colonização, uma vez que esta comarca esteve sempre profundamente ligada a Pernambuco.

Clique aqui para voltar para a página principal

2009-2019 Visionvox